• Luiz Soares

Qual é a dose certa de atividade física durante a quarentena?

Especialista dá dicas para equilibrar o sistema imunológico e bem-estar

Divulgação

A pandemia do coronavírus trouxe para o debate a imunidade da população. Como aliar uma boa alimentação e exercícios que possam contribuir para a saúde e bem estar? O equilíbrio pode ser a palavra-chave. A especialista em Educação Física e professora do Colégio Marista Anjo da Guarda, Juliana Speltri, explica que cerca de 20 minutos de exercícios já trazem benefícios. “As atividades de intensidade moderada são as mais indicadas para manter o sistema imunológico em harmonia. Sua duração deve ser por volta de 20 minutos a 30 minutos respeitando a individualidade e potencialidade do indivíduo”.


O mesmo acontece com a alimentação “Não existe fórmula mágica ou alimento específico para deixar o sistema imunológico adequado, o segredo é comer bem e se hidratar bem. Uma dieta balanceada ajuda o organismo a se manter preparado contra os invasores”, explica. O ideal é ingerir proteínas tanto vegetais como animais - grão de bico, feijões, leguminosas, ervilhas, ovos, carnes vermelhas e brancas, leite, queijo, frutos do mar, oleaginosas, frutas, verduras e folhagens garantem uma dieta balanceada.


Outro fator importante para manter o sistema imunológico em equilíbrio é cuidar do sono, aponta Juliana. A falta dele provoca uma manifestação extremamente negativa no corpo deixando o indivíduo mais irritado, ansioso e estressado, o que tende a reduzir a imunidade como um todo.


Excessos


O organismo acende um sinal vermelho a todo excesso ou deficiência que é causado ao corpo. O sistema imunológico fica em alerta quando a atividade física é feita em excesso, quando a nutrição está inadequada e quando o sono está em falta e o estresse em alta. A professora explica que o corpo humano é como uma máquina, que precisa que todos os sistemas estejam funcionando em harmonia.


Existem estudos de pesquisadores espanhóis e ingleses em atletas olímpicos que relatam  que os que treinam por mais de sete horas semanais tendem a adoecem mais dos que os que treinam menos. “Isso acontece porque o sistema imunológico do corpo entende que o estresse fisiológico de alto nível é um agente agressor, ou seja, as atividades físicas de endurance fazem com que os níveis de cortisol e o estresse metabólico aumentem provocando uma ação negativa no sistema imunológico”, de acordo com Juliana.



6 visualizações

Grupo LCCOM
Comunicação para Eventos, Marketing e Turismo

Site: www.grupolccom.com

©2020 Por Grupo LCCOM